Saint-Barth: A ilha das celebridades

Saint-Barth: A ilha das celebridades

Saint-Barth: A ilha das celebridades

Artigo de Redação

Saint-Barthélemy, ou Saint-Barth, é uma ilha perdida na imensidão do azul-turquesa do Caribe, o ponto de encontro do jet set internacional, um verdadeiro paraíso de milionários onde, por exemplo, a modelo Kate Moss já fez topless, a cantora Beyoncé promoveu festas de arromba e Cristiano Ronaldo já festejou uma passagem de ano. A lista de ricos e famosos que têm propriedades ou passam férias por aqui é enorme, mas Saint-Barth é mais do que isso: é uma mistura de beleza caribenha e de sofisticação europeia. Tem praias muito concorridas e outras completamente isoladas. As mansões e os hotéis de luxo estão espalhados por todo lado, mas também tem uma cidade com traços suecos, restaurantes de cozinha francesa e outros muito simples e acessíveis.

Situado a cerca de duas horas de avião de Miami, a 250 quilómetros a este de Porto Rico ou a 45 minutos, de barco, da ilha de Saint-Barthélemy, faz parte das Antilhas Francesas, tendo o estatuto de coletividade ultramarina francesa desde 2007.

De referir que Saint-Barth foi uma ex-colónia sueca durante mais de 100 anos, mas voltou para o domínio da França.

Os vestígios da presença sueca estão marcados na arquitetura, mas o idioma, a cultura e a culinária são franceses. São apenas 21 quilómetros quadrados de um paraíso na Terra, onde estão localizadas as praias mais famosas e preferidas pelo jet set. O desenvolvimento da ilha é relativamente recente, ainda com poucos hotéis, poucos habitantes e sem transportes públicos.

Saint-Barths é ideal para quem quer experimentar um pouco da atmosfera encontrada nas pequenas cidades da costa francesa. Caminhar, passear de barco e mergulhar são programas indispensáveis.

A sua pequena capital, Gustavia (nomeada em homenagem ao rei Gustavo III da Suécia), possui um interessante porto, sempre repleto de barcos e iates, além de lojas e restaurantes, e o museu municipal, onde pode observar fotografias fascinantes sobre a história da ilha.

As paisagens aristocráticas, as montanhas cobertas por uma vegetação exuberante e as ondas que batem com suavidade contra as rochas negras dos recifes de coral merecem uma atenção especial.

Descoberta por Cristóvão Colombo

Tudo em Saint-Barth é requintado, herança da colonização francesa. A ilha foi descoberta por Cristóvão Colombo em 1493 e recebeu esse nome para homenagear Bartolomeu, o irmão do explorador. Em 1648 teve início o processo de povoação pelos franceses da ilha vizinha, São Cristóvão. Assim, encontram-se traços franceses por todo o lado.

Se sempre sonhou com cenários cinematográficos para as suas férias a dois ou lua-de-mel, saiba que não há nada mais indicado do que Saint-Barth.

Quase metade dos habitantes da ilha são portugueses

Na ilha de Saint-Barth vivem cerca de oito mil pessoas. Três mil são portugueses, oriundos do Norte de Portugal, sobretudo de Braga, Guimarães, Barcelos e Monção.

Sem consulado português em S. Bartolomeu (os emigrantes dependem da embaixada portuguesa em Paris), aos poucos, a comunidade vai-se organizando. A equipa portuguesa de futebol já esteve em primeiro lugar na classificação local.
A Associação Desportiva e Cultural Portuguesa de Saint-Barth foi a grande responsável por dinamizar e incentivar os emigrantes portugueses a participarem nas atividades da ilha. As comemorações do 25 de abril, do S. João e do S. Martinho são as únicas festas tradicionalmente portuguesas que aí se celebram.

Guia do viajante

Onde ir

Corossol
Public
Colombier
Saint-Jean

Onde comer

Eddy’s
L’Isola

Onde ficar

Christopher St Barth
Hotel Guanahani & Spa
Christopher St Barth
Hotel Guanahani & Spa
Eddy’s
L’Isola
Corossol

A areia parda da praia de Corossol é tão particular que lhe dá um charme inigualável. Esta baía abriga os tradicionais doris (barcos dos pescadores), que não se encontram noutros lugares.

Public

Apesar de ser uma zona industrial, Public também possui praia, com uma escola de vela. As águas são calmas e agradáveis.

Colombier

Acessível apenas por barco ou pelas vias pedestres da Petite Anse ou de Colombier, a praia de Colombier oferece-lhe uma das mais belas vistas da ilha. As suas águas límpidas e de cor azul-turquesa são ideais para o snorkeling. Considerada uma das melhores praias de Saint-Barths, basta escolher onde estender a sua toalha para aproveitar o que a ilha caribenha tem de melhor para uma lua-de-mel inesquecível: sol, mar, sombra e água fresca.

Saint-Jean

Depois de Gustavia, Saint-Jean é o bairro mais ativo da ilha. A sua praia divide-se em duas partes, estando separada pelo hotel Eden Rock. As atividades náuticas são de fácil acesso.

Clima

É tipicamente tropical marítimo. A temperatura do ar não varia mais do que 27º no inverno e 30º no verão e 32º em julho e agosto. A temperatura do mar pode chegar aos 29° no verão.

Documentos

Passaporte válido, pelo menos, seis meses.

Outras Informações

Moeda: Euro, mas o dólar também é aceite. Idioma: O francês é a língua oficial. No entanto, em Saint-Barth utilizam-se dois dialetos locais, o normando e o crioulo. Grande parte da população fala inglês e todos se entendem, tanto em hotéis como em restaurantes e lojas. Fuso horário: - 6 horas Vacinas: Febre amarela. Eletricidade: 220 V. Transportes: Por causa do relevo contrastante da ilha, os meios de transporte desempenham um papel crucial em Saint-Barthélemy, mas a oferta de veículos está à altura: táxis, motos, 4 x 4, carros elétricos, carros de luxo estão à sua disposição na hora, no dia ou na semana que deseja.

Compartilhe o artigo

Top