Moscovo: Para os apaixonados pela História!

Moscovo: Para os apaixonados pela História!

Moscovo: Para os apaixonados pela História!

Artigo de Redação

Nas últimas décadas, cresceu rapidamente, tornando-se numa das maiores cidades do Mundo (a sétima). Como resultado, os seus subúrbios de arranha-céus estão volta de um centro histórico relativamente compacto, com uma fascinante arquitetura antiga. Além de ser um dos países mais importantes a nível da política mundial, é, também, uma cidade extremamente popular para negócios e turismo.

A cidade tradicional dos czares, imponente nos seus edifícios seculares, mas sombria e cinzenta devido arquitetura padronizada dos tempos do comunismo, está a desaparecer. Agora, começa a surgir uma cidade vibrante, que alia o melhor do tradicional com uma supermodernidade e um enorme movimento que inclui o trânsito, com imensos veículos de todas as marcas e procedências.

O que não pode mesmo perder!

Toda a cidade respira História, ou não tivesse sido palco de grandes acontecimentos em pleno século XX, em parte, pelo regime que ditava as regras na cidade. Durante muitos anos, esta cidade foi muito pouco visitada pelos turistas ocidentais, atualmente, começa a ganhar novos visitantes, que procuram Moscovo pelo seu exotismo e grandiosidade emergente no século XXI.
Moscovo.

Praça Vermelha, o cartão de visita da cidade

Praça Vermelha

A Praça Vermelha e o Kremlin são locais históricos imperdíveis na cidade. Depois de um dia de passeios culturais, siga para o Parque Gorki, que no inverno tem lindas esculturas de gelo e no verão se transforma num parque de diversões com brinquedos e espetáculos. Além de ser um cartão postal da cidade, a praça abriga o Mausoléu de Lenine, a Catedral de São Basílio e o Kremlin.

Kremlin

Residência oficial do Presidente da Rússia e uma espécie de complexo de galerias, museus e até catedrais com peças que retratam a história da cidade e do país. As suas fortificações de madeira foram o embrião da cidade batizada por «Moskva» – como o rio que a banha – e o respetivo museu, onde estão os tesouros imperiais que um dia pertenceram aos czares e príncipes da Rússia, incluindo coroas, coches dourados e os célebres ovos Fabergé.

Catedral de São Basílio

Fica na Praça Vermelha e foi construída em 1555 para celebrar a vitória de Ivan, o Terrível, sobre os mongóis.

Museu Pushkin

Dedicado às belas-artes, inclui as coleções dos “merchants” Ivan Morozov e Sergei Shchukin confiscadas pelos sovietes. Aqui pode ver um grande número de quadros de Monet, Renoir e Van Gogh.

Galerias Tretyakov

São dedicadas história de arte russa, desde o século XI ao presente, incluindo uma exaustiva coleção iconográfica.

O metropolitano de Moscovo

Conhecido por Palácio Subterrâneo, é único pela sua estética, pelos murais, mosaicos e lustres ornados. Foi inaugurado em 1935 e é um dos grandes esplendores da cidade, utilizado diariamente por mais de oito milhões de pessoas. Entre as suas 150 estações, destaque especial para a Ploshchad Revolyutsy, com um pavimento em mármore encarnado e 36 estátuas de bronze de revolucionários; a Kievskaya, com mosaicos coloridos que glorificam os camponeses da Ucrânica; ou a Mayakovskaya, com 36 painéis no teto e mármore preto e encarnado, onde foi apresentada uma coleção da Givenchy.

Possui 173 estações, distribuídas por 12 linhas, através de 282,4 km que levam cerca de quatro horas a visitar – é possível ver e sentir as obras de arte, que são cada estação e onde a sumptuosidade se nota em pormenores, como um teto de 200 metros em… ouro.

Sete Irmãs ou Stalin’s Seven

Sister’s Skyscrapers

Um complexo de sete edifícios, que pode ser visto praticamente de qualquer parte da cidade. Foram construídos a pedido de Estaline, para a comemoração dos 80 anos do regime comunista. Atualmente, cada um deles possui uma ocupação diferente, como hotel, universidade, residência e outros.

Complexo Pushkin de Belas-artes

O seu acervo está dividido em seis edifícios, que fazem parte desse complexo de museus. É o maior museu de Moscovo dedicado arte europeia e há quem diga que se parece muito com o British Museum de Londres.

Gorky Park ou Maxim Gorky

Foi criado em 1928, a partir da junção dos jardins do Hospital Golitsyn e do Palácio Neskuchny, com uma área total de 300 acres. Encontra-se margem do rio Moskva e, para além de parques, feiras e áreas para caminhadas, possui uma enorme roda gigante.

Mausoléu de Lenine

Aqui encontra-se o corpo embalsamado de Lenine, criador da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, desde 1924.

Ulitsa Arbat (Rua Arbat)

Uma das mais antigas e famosas ruas de Moscovo. Aqui, poderá comprar muitas recordações da cidade. Originalmente ocupada por comerciantes orientais, hoje abriga uma grande comunidade artística e cafés bem frequentados ao longo da rua. Aqui encontra também a casa onde viveu Pushkin com a mulher, onde hoje funciona um museu.

Mosteiro de Danilov

O primeiro mosteiro fundado na cidade de Moscovo, em 1282. Funcionava como defesa da cidade ao exterior, mas também já serviu como fábrica e centro de detenção durante o período soviético. Atualmente, reflete o papel da Igreja moderna na Rússia e funciona como local de peregrinação nos dias santos.

Catedral do Cristo Salvador

Reconstruída em 1994 de acordo com o projeto original, oferece uma excelente vista sobre a cidade de Moscovo, a 40 metros de altura. Uma catedral muito bonita, com torres douradas e um interior majestoso.

 

Não deixe de visitar também:

Teatro do Ballet Bolshoi: Uma viagem na história

Este é o teatro-sede do maior e mais prestigiado corpo de «ballet» do Mundo. Dizem que ver uma ópera ou uma apresentação do corpo de baile é ainda uma das coisas mais românticas que se pode fazer na cidade. De palco aberto, com a maquinaria mostra, tem uma companhia de bailado e orquestra. Nobilíssimo, de cor adamascada, com a talha dourada manchando o vermelho-sangue das cortinas decoradas com a sigla CCCP da antiga União Soviética. Ir ao Bolshoi é inevitável e remete-nos para a memória de uma instituição que exportou para todo o mundo os clássicos «Lago dos Cisnes», «Quebra-Nozes», «A Bela Adormecida» ou «Romeu e Julieta».

Por isso, percorrer a plateia, ouvir o sussurrar dos artistas, admirar os lustres e os dourados dos balcões e sentir o cheiro a antigo dos veludos é como beber uma poção mágica e enveredar por uma viagem na História.

Guia do viajante

Onde ir

Onde comer

Tavern Taras Bulba
Khachapuri
Steak House «Bison»

Onde ficar

People Business Novinsky Hotel
Maxima Slavia Hotel
Hotel "Izmailovo" Gamma-Delta
People Business Novinsky Hotel
Maxima Slavia Hotel
Hotel "Izmailovo" Gamma-Delta
Tavern Taras Bulba
Khachapuri
Steak House «Bison»

Clima

O frio existe de verdade, por isso é considerada uma das capitais mais frias do Mundo. As temperaturas na cidade variam entre os -3º e os -10º C no inverno – já aconteceu registarem-se -30º C) – e no verão entre os 18º e os 22º C.

Documentos

Passaporte

Outras Informações

Moeda: Rublo Idioma: Russo Fuso horário: + 4 horas do que em Portugal Continental. Transportes: O metro é a melhor forma para se deslocar. O problema é descodificar o cirílico e enfrentar as multidões. Há autocarros, elétricos e tróleis que chegam a vários pontos da cidade. Os táxis são caros, pelo que deve combinar o preço antes de iniciar a viagem. Curiosidade: Dia 9 de maio: Dia da Vitória, um dos mais emblemáticos da sua História.

Compartilhe o artigo

Top