página anterior
página seguinte
Mahdia - A antiga capital da Tunísia

Esta pequena cidade portuária, pitoresca e pacata, já foi a capital da Tunísia. Hoje, Mahdia vive, sobretudo, da pesca, do fabrico da seda e do turismo.

Situada a cerca de 50 quilómetros de Monastir, a meio caminho entre Hammamet e Djerba, muitos dizem que Mahdia é um dos lugares mais tranquilos da Tunísia, cujo turismo está todo desenvolvido junto à costa, com hotéis, lojas e restaurantes. É a parte moderna da cidade, que não tem nada a ver com o seu centro histórico ou a Medina, com um labirinto de ruas e ruelas em todas as direções.

vista a partir da Torre Obscura em Mahdia

Todo o centro histórico está bem preservado, com belas praças e esplanadas, como a Praça do Cairo, frente à mesquita de Mustapha Hamza. Como em muitas cidades árabes, a Medina de Mahdia é um caos alegre entre os souks coloridos, com as suas diversas lojas de alfaiates, padeiros, ervanários, ourives e ferreiros. Para chegar ao centro da cidade tem de se passar por uma porta que se abre sobre as muralhas da cidade.

Não deixe de apreciar também as belas cores das portas de algumas casas. Outro dos grandes monumentos de Mahdia é o forte de Borj el Khabir, uma enorme fortaleza construída no século XVI, onde poderá tirar maravilhosas fotografias a partir do topo. Mesmo em frente da fortaleza encontram-se as ruínas do período púnico.

A partir da fortaleza, pode ver junto ao mar um pequeno cemitério, mas bonito, e mais adiante o farol de Mahdia. No porto, pode observar-se os restos das muralhas que
protegiam a cidade. Há que recordar que no tempo dos grandes califas apenas eles e sua comitiva estavam autorizados
a viver na cidade.

costa de Mahdia museu El Jem

Onde ir

Museu de El Jem
O museu é organizado à semelhança de uma casa romana, que conserva a arquitetura clássica dessas casas, com quartos dispostos em torno de um pátio central.

No museu podem-se ver esculturas, cerâmicas e mosaicos encontrados principalmente na cidade de El Jem e nos arredores.

Tudo isto dá uma ideia das residências de luxo que foram construídas aqui e como viviam as famílias aristocráticas, que construíram a sua fortuna proveniente da produção de petróleo.

residência Mahdia

Cidade antiga de Mahdia
Pode-se percorrer esta vila dando um agradável passeio, no qual aparecerá a sua Grande Mesquita, construída no ano 921 foi a primeira realizada pelos fatimíes.

Possui uma entrada com um porte monumental que lembra uma fortaleza, a Sala de Oração conta com nichos nos lados típicos da arquitetura fatimí e o seu minarete é uma reconstrução do
edificado pelos ziríes do século XI.

Subway Diving Centre
Aqui é possível aprender a praticar mergulho, fazer mergulhos noturnos e explorar o fundo do mar e conhecer as suas formações rochosas.

Anfiteatro El Jem

Anfiteatro El Jem

Anfiteatro de El Jem
É o maior coliseu do Norte de África e o maior do mundo a seguir ao de Roma. Situa-se a cerca de 200 quilómetros a sudeste de Tunis. Construído no século III (mais concretamente entre 230-238) por ordem do oficial Gordian, que podia acomodar 35 mil espectadores, ilustra a grandeza da Roma Imperial e foi inscrito pela Unesco, em 1979, na lista dos locais ou monumentos que são Património da Humanidade.

Forte Borj el Kebir Grande Mesquita de Mahdia

O coliseu tem um comprimento de 148 metros por 122 de largura, com uma altura de cerca de 35 metros. Parte da sua muralha desapareceu em 1695, para pôr a descoberto os lugares de abrigo dos dissidentes contra os otomanos. As pedras usadas para construir o coliseu foram transportadas de Salakta, a 30 quilómetros. Em 238 a construção do coliseu parou devido à morte de Gordian.

Forte de Borj el Kebir
Forte com vista para o antigo porto construído pelos turcos no século XVI.

Museu do Tapete
Possui uma coleção interessante de trajes tradicionais e instrumentos de confeção.

Guia do Viajante

ver mapa maior

Mahdia

onde ficar

Iberostar Royal El Mansour

Hotel Riu El Mansour

PrimaSol El Mehdi

Framissima Thalassa Mahdia

El Mouradi Cap Mahdia

lti Mahdia Beach Hotel

Mahdia Palace Thalasso

Residence Dar Sidi

El Mouradi Mahdia

Mahdia Palace

Vincci Nour Palace Resort – Hotel Eldorador

Abou Nawas El Borj

onde comer

Mahdia não tem uma grande quantidade de restaurantes disponíveis, principalmente, que sirvam cozinha regional. Porém, o local mais indicado para jantar e onde se encontram alguns restaurantes é junto à Medina.

Restaurant le Quai

Restaurant Neptune

Café Sidi Salem

Café La Medina

Restaurant Le Lido

compras

É-lhe oferecido um copo de chá verde quando entrar numa loja. Ao aceitar o chá não está a comprometer-se a comprar nenhum artigo. Trata-se simplesmente de um gesto de cortesia tradicional embora, em muitos casos, faça parte da estratégia de venda.

Nos mercados é habitual a arte de regatear e negociar com o vendedor.

Há já alguns anos que determinadas lojas estão identificadas com o distintivo oficial Loja Recomendada. São lojas que cumprem determinados requisitos (indicar os preços, detalhar a composição dos artigos fabricados, etc.).

excursões

Em alternativa às praias de Mahdia, pode fazer algumas excursões e passeios ao deserto, a El Jem, conhecer as belas cidade de Sousse, Monastir e Hammamet.

vestuário

Para o período estival (de maio a outubro) é recomendável levar roupa leve e de algodão. Durante a primavera, outono e inverno, é aconselhável levar roupa de verão, casacos mais quentes para as saídas à noite e uma proteção para a chuva. Nas zonas turísticas não existem restrições no vestuário, apesar de em alguns lugares de culto (mesquitas, sinagogas...) ser exigido um vestuário que mostre respeito: as mulheres devem vestir saias ou calças, camisa de manga comprida e um lenço a cobrir a cabeça. Os homens devem vestir calças.

Na sua mala de viagem não pode faltar: Creme de proteção solar e óculos de sol.

segurança

A Tunísia é um país bastante seguro em qualquer uma das suas regiões, sendo apenas necessário tomar as precauções habituais, como, por exemplo, não circular com grandes somas de dinheiro.

informações

Moeda
Dinar tunisino.

Idioma
Apesar do idioma oficial ser o árabe, o francês é amplamente falado e uma boa parte da população é bilingue. Nas zonas turísticas, os funcionários também falam inglês e, em muitos casos, alemão, italiano, espanhol e português, especialmente nos mercados e zonas comerciais.

Documentos
Passaporte válido com uma data de validade de, pelo menos, três meses a contar a partir da data de chegada.

Fuso horário
a mesma hora de Portugal durante os meses de verão
+ 1 hora do que em Portugal durante os restantes meses do ano

Voltagem
220 V. Não é necessário qualquer adaptador para os eletrodomésticos habitualmente utilizados em Portugal.

clima

De tipo mediterrânico, o clima é ameno e agradável. As temperaturas médias variam consoante as estações e as regiões.

saúde

Não é necessário qualquer tipo de vacinação. Aconselha-se apenas a que se beba água engarrafada.

fotografia

É proibido fotografar edifícios militares e governamentais.

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala e Wiki Commons
edição 9 a próxima viagem