página anterior
página seguinte

Situado nas margens do rio Chao Phraya, Banguecoque tem muito mais para oferecer, para além dos majestosos templos dourados. Junto à tradicional capital tailandesa ergue-se uma cidade de arranha-céus, elegantes centros comerciais, bares e restaurantes exclusivos.

Banguecoque é uma das cidades mais impressionantes do Mundo, sendo conhecida como A Cidade dos Anjos. Durante o saque de Ayutthaya por parte dos birmaneses, os generais Taksin e Chakri organizaram o desmantelamento da cidade, incluindo dos templos, das casas e das muralhas, mandando-os transportar para Banguecoque, onde se reconstruiu a cidade com as dimensões da antiga capital.

Atualmente, Banguecoque é uma metrópole fascinante de dez milhões de habitantes e com duas fisionomias muito diferentes: a da cidade velha, com os palácios e templos do século XVIII, e a da cidade moderna, com os centros comerciais e as zonas mais recentes banhadas pelo rio.

Os amantes da boa cozinha não poderão resistir às tentações da arte gastronómica tailandesa.

O paraíso das compras

Podem comprar-se, a bom preço, peças de joalharia, em especial rubis e safiras (Banguecoque tem fama de ser um dos centros mundiais de pedras preciosas), sedas, artesanato em madeira, bronze, cerâmicas, antiguidades thai, birmanesas ou jemer (algumas necessitam de autorização de exportação), lacas, guarda-sóis e artigos de imitação. Merece menção especial o artesanato das tribos das montanhas do Norte, que pode ser adquirido no bazar noturno de Chiang Mia. Com exceção dos grandes armazéns, a prática de regatear é necessária, se se querem obter os melhores preços.

As lojas permanecem abertas até às 22 horas e os mercados aproximadamente até às duas da manhã.

Na Tailândia, encontrar-se-á uma das sedas de maior qualidade que se produz em todo o Mundo. A seda tem sido tratada com cuidados especiais desde tempos imemoriais, sendo fiada, em muitos casos, à mão, aplicando-se nela toda a sabedoria das mãos conhecedoras que a trabalham.

O algodão thai é também outro dos tecidos que gozam de enorme fama a nível mundial. Produz-se em vários pesos e medidas, tanto para uso doméstico como para vestuário, sendo, por sua vez, exportado em grandes quantidades.

Este país é um dos principais exportadores de pedras, já que a mão-de-obra utilizada no corte e no entalhe é consideravelmente barata e, por isso, conseguem-se preços muito vantajosos.

Para total segurança, o melhor é adquiri-las em estabelecimentos reconhecidos e exigir tanto o certificado de garantia como a fatura, de modo a evitar-se possíveis fraudes.

Foi em 1939 que o nome oficial do país, Sião, foi substituído pelo de Tailândia (Práthêt Thai) Práthê provém do sânscrito pradesha, que significa “país” e thai significa “livre”

Uma cultura fascinante

Para os turistas, Banguecoque oferece uma ampla variedade de atrações. A cidade possui cerca de 400 templos budistas de grande beleza e fascínio, magníficos palácios, espetaculares
produções de dança clássica, numerosos centros comerciais e modos de viver tradicionais, nomeadamente ao longo dos canais fora do tempo da Veneza do Oriente e do rio Chao Phraya ou Rio dos Reis, que corre, sinuoso, na cidade. Vale a pena navegar nas suas águas antes de iniciar a exploração dos diversos canais, para dar uma rápida vista de olhos na antiga Banguecoque.

A não perder!

O Grande Palácio e o Wat Phra Kaeo
O Grande Palácio e o Wat Phra Kaeo

(O Templo do Buda de Esmeralda)
Reúne templo e edifícios ricamente decorados e com os mais diversos estilos arquitetónicos. Em todos os lugares é possível ver lâminas de ouro, cobertas de azulejos refletores e imagens de Buda. O coração do complexo é o magnífico Wat Phra Kaeo, um tesouro de arte thai e alojamento do Buda de Esmeralda, a mais venerada imagem de Buda.

Sala do Trono Ananda Samakhom
Sala do Trono Ananda Samakhom

Foi construída sob o reino do rei Rama V e, atualmente, é utilizada para algumas importantes cerimónias reais e do Estado.

Wat Mahadhatu
Wat Mahadhatu

Conhecido como o Templo da Grande Relíquia, é o centro nacional da seita monástica Mahanikai. Aqui encontra-se uma universidade budista e oferece um curso de meditação em inglês para os turistas interessados.

Residência Vimanmek
Residência Vimanmek

É o maior edifício em teca dourada do Mundo, construído em 1901, pelo rei Chulalongkorn, o Grande (Rama V), como residência real. Hoje, a sala é o primeiro museu de artesanato da Tailândia.

Museu Nacional do Elefante Real
Museu Nacional do Elefante Real

Alberga um modelo em tamanho natural do elefante branco, que está ligado à fertilidade e ao conhecimento.

Wat Pho
Wat Pho

(Templo do Buda Reclinado)
Aqui está conservado o maior de Banguecoque. O Buda Reclinado tem 46 metros de comprimento e 15 de altura, está todo recoberto de ouro, com olhos e pés cravados de madrepérola.

Museu Nacional de Banguecoque
Museu Nacional de Banguecoque

É um dos maiores e mais completos museus do Sudeste Asiático, abrigando uma importante e rica coleção de objetos de arte que vão desde a Idade do Bronze até ao período de Banguecoque.

Wat Arun
Wat Arun

(O Templo da Aurora)
Está instalado no que foi o antigo palácio real, quando a capital era Thonburi. As suas prangs (torres em estilo cambojano) são surpreendentes e estão decoradas com porcelana chinesa. A majestosa torre, de 82 metros de altura, é a mais alta do país, de onde se tem uma ótima vista de Banguecoque.

Wat Traimit
Wat Traimit

(Templo do Buda de Ouro)
Este templo abriga a extraordinária imagem do Buda de Ouro, uma figura sentada e inteiramente realizada em ouro, com um peso de cinco toneladas e meia e 700 anos de idade.

Wat Ratchanatdaram
Wat Ratchanatdaram

Este templo é considerado um dos mais originais de Banguecoque. Contém uma Loha Prasat (pagode com flechas de metal) rosa em forma de pirâmide, inspirada na do Sri Lanka. Tem uma altura de 36 metros e é cercada por 37 flechas, a única no género ainda existente no Mundo.

A Veneza do Oriente

No século XIX, Baguecoque possuía uma complexa rede de canais a funcionar como grandes artérias para o transporte. A população utilizava o rio não apenas para se deslocar, mas também para morar e
comercializar; as casas sobre palafitas povoavam as margens e os barcos estrangeiros chegavam a Banguecoque. Por esta razão, esta cidade era conhecida antigamente como A Veneza do Oriente. O rio e os canais ainda podem ser explorados comodamente, oferecendo ao visitante uma visão da antiga vida sobre as águas.

Com uma rica herança cultural e paisagens de extrema beleza
natural, a Tailândia é, realmente, uma terra deslumbrante

Conhecer a cidade de tuk-tuk

Banguecoque é uma cidade ativa, com muitos engarrafamentos no trânsito. Experimente andar de tuk-tuk, os conhecidos e típicos triciclos para percursos breves. As tarifas devem ser regateadas antes. Não custam muito menos do que os táxis, mas o encanto está na extravagância do tipo de transporte.

Experimente a massagem tailandesa

A célebre massagem tradicional thai alivia muito, tendo sido, provavelmente desenvolvida há 2500 anos pelos ascetas brâmanes, para aliviar o stress provocado pelos longos períodos de meditação em determinadas posturas. Atualmente, os conhecedores desta arte podem proporcionar grande alívio, diminuir a tensão muscular e dar uma sensação de bem-estar ao corpo.

Guia do Viajante

ver mapa maior

portugal

onde ficar

Eastin

Majestic Garden

Amari Watergate

The Dusit Thani

Grand Mercure

Park Avenue

Montien Bangkok

Holiday Inn

Silom Bangkok

Siam Siam Design & Spa

Dusit Thani

Sofitel Bangkok

Silom

Royal Orchid

Sheraton

Shangri-La

Banyan Tree Bangkok

Península

Oriental

onde comer

Blue Elephant

Espresso

Kinnaree Gourmet Thai

La Grande Pearl

Ramayana Restaurant

Rioja Spanish Bar and Restaurant

V9 Wine and Dining

gastronomia

Aromas, sabores…
A Tailândia é, sem dúvida, um paraíso para os que gostam da boa cozinha. A riqueza dos ingredientes, o requinte da apresentação, a grande criatividade e o exotismo fazem da gastronomia tailandesa uma das mais ricas de todo o Oriente. O arroz é um dos alimentos que nunca faltam na mesa tailandesa, servindo-se de múltiplas maneiras: fervido, frito ou em sopa. Na zona norte, a variedade cultivada é mais gelatinosa, sendo mais conhecido como “arroz pegajoso”.

geografia

É limitada a oeste com Myanmar (antiga Birmânia) e o Índico; a sul e este com a Malásia e o Golfo de Tailândia; a oeste com o Camboja e a norte com Laos.

é obrigatório

Dar um passeio ao longo do rio Chao Phraya, o encantador Rio dos Reis.

Visitar o Palácio Real e o Templo do Buda de Esmeralda (Wat Phra Kaeo). Esta parte da cidade, com os templos dourados, as torres em espiral e as brilhantes decorações, está protegida por uma fortaleza branca.

Conhecer o El Wat Phra Kaeo, a capela pessoal de sua majestade, o rei, e também o lugar venerado do protetor sagrado da Tailândia, o Buda de Esmeralda.

Outros lugares de interesse são o Templo do Buda de Ouro, que conserva um Buda integralmente de ouro, do período Sukhothai(1238-1378) e o Museu Nacional.

Conhecer o mercado flutuante, um pitoresco aspeto da vida fluvial tailandesa.

tours recomendadas

Grande Palácio

Cidade e templos

Jantar-cruzeiro

Mercado flutuante

informações

Moeda
Thai bath. Troca-se facilmente euros pela moeda local em bancos e casas de câmbio espalhadas pelo país.

Idioma
Tailandês. O inglês é o idioma comercial.

Documentos
Passaporte com validade mínima de seis meses.

Fuso horário
+ 6 horas – abril a outubro;
+ 7 horas – novembro a março.

Roupa
Solta e ligeira; recomenda-se o algodão, deve-se evitar o nylon e levar óculos de sol para proteção. São necessários alguns agasalhos para as noites mais frescas do norte e para as montanhas.

Compras
A Tailândia é um país riquíssimo em artesanato. Poderá comprar artigos em madeira, jade, joias, sedas, imitações de roupas e acessórios, assim como relógios de marca.

Clima

A Tailândia tem um clima tropical, isto é, húmido e quente, com três estações: temperada, quente e chuvosa. A melhor época para viajar é entre os meses de novembro e fevereiro, que coincide com a estação temperada. Neste período, a temperatura média é de 20º C, com um índice de humidade por volta dos 55 por cento.

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Flickr e Turismo da Tailândia
Agradecimentos: Turismo da Tailândia pela fotos e informações cedidas
edição 4 a próxima viagem
swfobject.registerObject("FlashID");