página anterior
página seguinte
Açores - Éden no meio do Atlântico
Gran Canaria - um continente em miniatura

Cerca de dois mil quilómetros separam o arquipélago dos Açores do continente português. São nove ilhas idílicas, com paisagens soberbas de origem vulcânica, uma flora luxuriante e uma pacatez inigualável.

Cerca de dois mil quilómetros separam o arquipélago dos Açores do continente português. São nove ilhas idílicas, com paisagens soberbas de origem vulcânica, uma flora luxuriante e uma pacatez inigualável.

Em 1431, o arquipélago dos Açores foi descoberto pelo navegador português Gonçalo Velho e recebeu o seu nome devido às primeiras aves que foram avistadas. Durante os séculos XV e XVI, portugueses e flamengos colonizaram as diversas ilhas e introduziram o gado e diversas culturas. Nos dois séculos seguintes e devido à sua posição estratégica, o arquipélago prosperou com o desenvolvimento do comércio, servindo de entreposto a caminho do Novo Mundo, principalmente os portos de Ponta Delgada e Angra do Heroísmo.

Actualmente, a agricultura, a pesca e o turismo são as principais fontes de rendimento dos ilhéus. A partir dos anos 60 do século passado, houve um enorme êxodo de habitantes para os Estados Unidos e Canadá. Grande parte destes emigrantes regressam sazonalmente para as celebrações tradicionais, a maior parte de cariz religioso, como as Festas do Divino Espírito Santo.

Ainda hoje, os Açores não são um destino para o turismo de massas, devido ao seu clima caprichoso (diz-se que, por vezes, se tem as quatro estações do ano num único dia...) e ao facto de não possuir muitas praias. Ali, a vida decorre sem grandes pressas e a maior parte dos turistas prefere explorar a Natureza, fazendo caminhadas pelas montanhas verdejantes e salpicadas de flores, ou misturando-se com o colorido das gentes nos típicos portos.

Ultimamente, tem florescido o chamado turismo ecológico, multiplicando-se as empresas que permitem a observação de baleias, o mergulho oceânico ou a observação de pássaros. A caça à baleia faz parte da história recente dos Açores, tendo sido proibida em 1984. Antes, grandes baleeiros americanos aportavam aos Açores em busca de tripulações e os próprios açorianos começaram a caçar a baleia nas próprias águas, já que estes cetáceos e também golfinhos por ali passam todos os anos, por altura do Verão, aproveitando a corrente do Golfo. Algumas das espécies mais vulgares nas águas açorianas são o cachalote, a baleia-piloto, o golfinho-risso, o golfinho-vulgar e a tartaruga da Florida.

playa de los Amadores, ao anoitecer

O arquipélago dos Açores está dividido em três grupos de ilhas: o Grupo Ocidental, composto pela ilha das Flores e pela do Corvo; o Grupo Central, o mais numeroso, com Faial, Terceira, São Jorge, Graciosa e Pico; e o Grupo Oriental, com a ilha de São Miguel e a de Santa Maria. Este último grupo integra ainda um grupo de rochedos e recifes oceânicos, a nordeste de Santa Maria, chamado Ilhéus das Formigas que, em conjunto com o recife de Dollabarat, constitui a Reserva Natural dos Ilhéus das Formigas, um dos locais mais importantes para conservação da biosfera marinha no nordeste do oceano Atlântico.

O ponto mais alto do arquipélago situa-se na ilha do Pico, com uma altitude de 2352 m. A orografia açoriana é muito acidentada, com linhas de relevo orientadas na direcção leste-oeste, coincidentes com as linhas de fractura que estão na génese das ilhas, daí a intensa actividade vulcânica existente.

A origem vulcânica dos Açores tem a sua expressão máxima na ilha de São Miguel, no famoso Vale das Furnas e teve a sua mais recente actividade terrestre no Vulcão dos Capelinhos, na ilha do Faial, em 1957-1958. No mar, a última erupção verificou-se ao largo da Serreta (ilha Terceira) em 1998-2000.

As ilhas de São Miguel, Faial e Terceira estão dotadas de aeroportos internacionais e entre todas as ilhas há ligações aéreas da companhia local, a SATA. Em cada ilha, a melhor forma de se deslocar é alugando um carro, com excepção do Corvo.

Guia do Viajante

ver mapa maior

portugal

localização

O arquipélago dos Açores encontra-se situado no nordeste do oceano Atlântico e os territórios mais próximos são a Península Ibérica, a cerca de 2000 quilómetros a leste, a Madeira, a 1200 quilómetros a sueste, a Nova Escócia, a 2300 quilómetros a noroeste, e a Bermuda, a 3500 quilómetros a sudoeste. Os voos a partir de Lisboa demoram pouco mais de duas horas.


clima

O clima é temperado, registando-se temperaturas médias de 13 ° C no Inverno e 24 ° C no Verão. A corrente do Golfo, que passa relativamente perto e que atrai tantos cetáceos, mantém as águas do mar a uma tempe- ratura média entre os 17 ° C e os 23 ° C. O ar é húmido, com humidade relativa média de cerca de 75%.

turismo ecológico

Esta é uma modalidade em que o contato com a natureza é mais estreito. É ideal para os que quiserem fugir do turismo de massas, das cidades pejadas de carros e das praias a abarrotar de gente nos meses de Verão. Devido às suas características, o Arquipélago dos Açores é pródigo neste tipo de turismo, com actividades como mergulho, observação de cetáceos ou da actividade vulcânica. Para mais informação: www.azores.gov.pt

informações

Idioma
Português

Moeda
Euro

Fuso horário
Menos uma hora do que no continente, excepto no Verão (de Março a Outubro), em que é igual

Documentos
Bilhete de Identidade/Cartão do Cidadão

Texto: Luis Peniche (luis.peniche@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala e Flickr
edição 3 a próxima viagem