página anterior
página seguinte
AmaVida e Queen Isabel - Pelo Douro Acima!
AmaVida e Queen Isabel

Parta à descoberta dos locais mais emblemáticos do Douro, enquanto desfruta de um ambiente de luxo e conforto e de um serviço de excelência a bordo dos novos navios-hotel da DouroAzul, recentemente inaugurados.

Os mais recentes navios-hotel da DouroAzul que entraram este ano ao serviço da empresa foram construídos em Portugal pela Navalria. O AmaVida e o Queen Isabel oferecem uma capacidade para 108 e 118 passageiros, respetivamente, e destinam-se à realização de cruzeiros fluviais no rio Douro. Apresentam um design luxuoso e cada cabina dispõe de janelas panorâmicas que proporcionam uma visão da paisagem de 180º graus. Ambos os navios têm um restaurante al fresco, que possibilita aos passageiros apreciar a paisagem enquanto se deliciam com a mais requintada cozinha do Douro e provam os mundialmente famosos vinhos do vale do Douro.

Os passageiros poderão ainda desfrutar de uma piscina aquecida – localizada no convés solar –, ginásio, massagens terapêuticas, SPA, entre outras comodidades. Ambos os navios estão equipados com rede de fibra ótica, que permite o acesso à Internet de banda larga via Wi-Fi, e todas as cabines são apetrechadas com TV HD, com acesso a vários canais internacionais e um sistema video-on-demand.

interior AmaVida

Cruzeiros fluviais únicos no Mundo

Estas duas novas embarcações da DouroAzul destacam-se a nível mundial por um conjunto de inovações tecnológicas e de eficiência energética únicas dentro do sector dos cruzeiros fluviais. Exemplo disso é a existência de um heliporto no convés solar – que permitirá a realização de tours aéreos na região – e a colocação de painéis fotovoltaicos – capazes de transformar a energia solar em energia elétrica – na cobertura desse mesmo convés, numa área de cerca de 155 metros quadrados, a maior até à data em embarcações desta tipologia.

interior Queen Isabel

Entrar a bordo de um destes navios-hotel é entrar numa dimensão do tempo em que tudo é vivido a um ritmo muito próprio, num apelo permanente aos sentidos. Em programas de oito dias, ou minicruzeiros de verão, esta é a forma perfeita para visitar um dos mais bem guardados segredos nacionais. Os navios-hotel da DouroAzul navegam por um dos mais belos rios da Europa, permitindo partir à descoberta dos locais mais emblemáticos do Douro, tudo enquanto desfruta de um ambiente de luxo e conforto e de um serviço de excelência a bordo.

Queen Isabel

Turismo sustentável

A sustentabilidade foi sempre um ponto crucial na elaboração dos projetos destes navios, assumindo a DouroAzul um compromisso com a inovação tecnológica e sustentabilidade ambiental, bem como com a preservação do vale do Douro como um destino de excelência para o turismo sustentável, galardão atribuído à região pelo National Geographic Society’s Center for Sustainable Destinations.

Navio AmaVida
Navio Queen Isabel
Sharon Stone baptiza AmaVida Andie MacDowell baptiza Queen Isabel

Apadrinhado pela atriz de Instinto Fatal, Sharon Stone, navegará pelos vários itinerários do Douro e está equipado com painéis solares que permitem que seja gerada energia para alimentar os sistemas operacionais do navio.

Entre os serviços disponibilizados, o AmaVida oferece aos passageiros: piscina aquecida, salão de beleza, centro de fitness e acesso gratuito à Internet nos camarotes.

Andie MacDowell foi a madrinha do Queen Isabel, que apresenta 18 suites juniores com cerca de 20 metros quadrados cada uma e duas suites com 30 metros quadrados, todas com acesso a varanda.

Os camarotes existentes no deck principal têm varandas francesas e as áreas públicas incluem: salão com bar, bar exterior, restaurante, solário com piscina e uma área de SPA e fitness. O navio Queen Isabel está preparado para fazer itinerários de dez dias entre Portugal e Espanha no rio Douro.

Douro Azul

Uma empresa de sucesso

Fundada em 1993, a DouroAzul estabeleceu-se como líder no sector de cruzeiros fluviais em Portugal, contando, atualmente, com uma frota de sete navios-hotel, a royal barge Spirit of Chartwell, um barco rabelo e um iate de luxo. A DouroAzul dispõe, ainda, de uma frota de autocarros turísticos de suporte aos programas em navio-hotel, bem como de dez autocarros turísticos de sightseeing, ao serviço da BlueBus City Tours. Recentemente, em 2012, a empresa inaugurou o Tourist & Business Wellcome Center na freguesia de Miragaia, naqueles que foram os primeiros armazéns de vinho do Porto.

O Grupo DouroAzul engloba ainda as empresas Helitours, dedicada à realização de tours aéreos em helicóptero, a Caminho das Estrelas, dedicada ao turismo espacial, e a recentemente anunciada World of Discoveries, que irá desenvolver e explorar um museu interativo e um parque temático dedicado à epopeia dos Descobrimentos Portugueses.

Cais da Ribeira no Porto

Passear pelo Douro

Vale do Douro

Falar do Douro não é apenas falar de um rio ou de uma região. É muito mais do que isso... É falar de toda a sua história e das suas gentes, que o tornam tão especial.

Conhecer o Douro não é apenas visitar a região, é partir numa viagem à descoberta de um lugar único, com uma história, cultura e pessoas únicas.
Existem várias explicações para a origem do nome Douro. Uma lenda conta que era costume ver-se rolar umas pedritas pequenas e brilhantes, que se veio a descobrir serem de ouro. Há quem diga ainda que o nome se deve à cor barrenta das águas do rio, consequência das grandes quantidades de detritos que as enxurradas arrastavam encostas abaixo e que por serem de um amarelo vivo, lhe davam uma cor de ouro. Mas há ainda quem defenda que este nome deriva do latim durius, ou seja, “duro”, devido à dureza dos seus contornos tortuosos de escarpas altas e rochosas.

O Douro nasce na serra de Urbión, no norte de Espanha, a cerca de 2000 metros de altitude. É o segundo maior rio de Portugal, com um comprimento total de 927 km. Em território português, este rio tem apenas 210 km de comprimento e é navegável ao longo de todo esse percurso, graças às cinco barragens que são, hoje em dia, também uma atração devido ao seu desnível. A barragem do Carrapatelo tem um desnível no nível da água de 35 metros, um dos maiores desníveis da Europa.

Foi este rio, em tempos muito estreito e perigoso, que trouxe prosperidade à região, visto que era através dele que se fazia o transporte do precioso néctar, o vinho do Porto. Em séculos passados este rio representava um desafio e um perigo para os que nele navegavam. Estava repleto de fortíssimas correntes e pedras meio submersas. Nessa altura, apenas um pequeno barco de madeira – o rabelo – conseguia navegar nestas águas e fazer o transporte do vinho desde o Vale do Douro até à foz, em cujas margens se situam as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia.

barcos rabelos Alto Douro Vinhateiro

Região vinícola de uma beleza indescritível

A mais antiga região demarcada de vinho do Mundo é também uma paisagem de rara beleza e de uma importância histórica indiscutível. Como tal, foi considerada pela Unesco como Património da Humanidade em 2001.
Em 1756, foram criadas a Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro e aquela que viria a ser a primeira região vinícola demarcada do Mundo, o Douro.

A classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património da Humanidade obedeceu a uma serie de critérios, entre os quais, o facto de ser uma região que produz vinho há cerca de 2000 anos e cuja paisagem, para além ser de uma obra de arte da Natureza, é também o resultado do trabalho árduo do Homem, que a moldou para a tornar naquilo que é hoje em dia. Para além disso, esta região vinícola de longa tradição na produção de vinho transformou-se numa paisagem de uma beleza inigualável, que reflete a sua evolução tecnológica, social e económica.

Da área classificada fazem parte 13 municípios, que, para além dos vinhedos, fornecem o contexto cultural e histórico em que se desenrola a vida desta região. É uma área rica em termos de património arquitetónico, o qual terá a oportunidade de admirar ao visitar a região.

No meio de montes, quintas e vinhas destacam-se grandes casas senhoriais do século XVIII, com as suas fachadas imponentes, que demonstravam a importância das famílias que nelas habitavam. De quando em quando são visíveis alguns núcleos urbanos, dos quais se destacam as cidades da Régua, Lamego e, ainda Vila Real, embora um pouco mais distante das margens do rio.

Já na Idade Média, Lamego estava ligado à produção de vinho, o vinho doce de Lamego, como era então conhecido. Para além disso, tornou-se também num importante centro religioso, como se pode comprovar pelo património arquitetónico que nos chegou até hoje e do qual são exemplos a Catedral de Lamego, a Igreja de Santa Maria de Almocave, Igreja de Santa Cruz e o Santuário da Nossa Senhora dos Remédios, cuja romaria em setembro atrai milhares de pessoas a esta cidade.

Santuário Nossa Senhora Remédios

O Douro e o vinho do Porto

adega Vinho do Porto

A cultura da vinha nesta região é algo que vem já desde tempos muito remotos (três a quatro mil anos). No entanto, foi durante a ocupação
romana que se desenvolveu com um carácter sistemático, juntamente com a cultura da oliveira e dos cereais.

Um dos acontecimentos que marcou a história dos vinhos do Douro, em particular do vinho do Porto, foi a assinatura do Tratado de Methuen, em 1703. A assinatura deste tratado veio impulsionar o comércio destes vinhos, cujo principal destino era o mercado inglês. Tal resultou na crescente fixação de agentes comerciais de nacionalidade inglesa no Porto e no Douro, que, com o tempo, foram conquistando o domínio da atividade.

O Douro é a mais antiga região demarcada de vinhos do Mundo. Foi demarcada em 1756, pelo marquês de Pombal, de forma a garantir a qualidade e autenticidade dos vinhos desta região.

A Região Demarcada do Douro abrange uma área de cerca de 250 mil hectares, embora apenas cerca de 45 mil estejam plantados com vinha. As serras do Marão e de Montemuro protegem a região dos ventos húmidos do Atlântico e influenciam de forma relevante o clima da região, que se caracteriza por invernos rigorosos e verões bastante quentes.

Onde o rio o leva
Porto
Porto

O Porto é um dos destinos mais antigos do Mundo. É conhecido pelo vinho do Porto, tendo sido classificado pela UNESCO, em 1996, Património Mundial.

Vila Nova de Gaia
Vila Nova de Gaia

Quem viaja no rio Douro não pode deixar de visitar as famosas caves de Vila Nova de Gaia. Pode também aproveitar para conhecer monumentos emblemáticos, como o Mosteiro da Serra do Pilar ou o Mosteiro de Grijó.

Bitetos
Bitetos

É o ponto de paragem para visitar o Mosteiro de Alpendurada, fundado durante o Séc. XI. Este mosteiro tem uma atmosfera medieval única, com um elevado valor histórico e cultural.

Régua
Régua

Surgiu durante a ocupação romana, mas começou a desenvolver-se no Séc. XVIII, durante a era do marquês de Pombal. Com a serra do Marão na retaguarda, a Régua é o centro oficial do Douro Vinhateiro. Uma visita obrigatória para quem chega a Régua é o Museu do Douro, fundado em 2006, e que apresenta várias exposições temporárias e uma exposição permanente instalada no Armazém 43 do edifício do Solar do Vinho do Porto.

Lamego
Lamego

É a segunda maior cidade do distrito de Viseu. A sua fundação remonta ao tempo dos romanos,
mas foi reconquistada definitivamente em 1057 aos mouros. Lamego ocupa um lugar singular na História pela sua herança artística e beleza natural. Visite o impressionante santuário da Nossa Senhora dos Remédios com os não menos impressionantes 686 degraus que constituem os nove lanços de escadas.

Pinhão
Pinhão

É uma pequena vila do Séc. XIX, localizada no coração do Douro e caracterizada por uma beleza ímpar. Designado de coração do Alto Douro Vinhateiro, é onde se localizam muitas quintas que produzem o vinho do Porto. Deslumbre-se com os azulejos da estação dos caminhos-de-ferro, que retratam a azáfama das vindimas.

Pocinho
Pocinho

É nesta pequena aldeia, localizada no concelho de Vila Nova de Foz Côa, que se localiza uma das famosas barragens do Douro, a barragem do Pocinho. Construída em 1982, com 49 metros de altura e 430 de largura, é possível, na albufeira desta barragem, praticar vários desportos náuticos, como pesca, vela, sky aquático, entre outros.

Vila Nova de Foz Côa
Vila Nova de Foz Côa

Foz Côa distingue-se pelas figuras rupestres, do Paleolítico, encontradas a céu aberto, e é também considerada Património Mundial. Esta localidade possui paisagens e monumentos de elevada importância histórica, de onde se destacam as igrejas românicas e barrocas, os solares, a estação arqueológica de vale de Canivães, a citânia de Taja, a Igreja Matriz, fundada por D. Dinis, entre muitos outros.

Figueira de Castelo Rodrigo
Figueira de Castelo Rodrigo

O povoamento desta região remonta à fase final da Pré-história. Figueira de Castelo Rodrigo é conhecido pelas belezas naturais, mas também pelos monumentos históricos, com arquitetura religiosa, igrejas e capelas de rara beleza. Esta localidade convida a passeios a pé pelas ruas, bem como à contemplação das heranças medievais.

Salamanca
Salamanca

Salamanca é também conhecida por La Dorada devido ao seu tom dourado. Tal como o Porto, o centro histórico foi considerado em 1998 Património Histórico da Humanidade e em 2002 capital Europeia da Cultura.

Guimarães
Guimarães

Conhecida como a Cidade-Berço de Portugal, Guimarães é uma cidade carregada de História, factos e curiosidades e durante o ano 2012 foi considerada Capital Europeia da Cultura.

Barca d'Alva
Barca d'Alva

Aqui termina o Douro navegável em Portugal. De Barca d’Alva avistam-se terras espanholas. Esta localidade ergue-se na margem esquerda do rio Douro, que, com a construção do cais fluvial e a ligação ferroviária a Espanha, trouxe uma nova vida e um novo dinamismo a Barca d’Alva.

Guia do Viajante

ver mapa maior

portugal

contactos

Escritório
Rua de Miragaia, 103, Porto

Informações e Reservas
Tel.: 223 402 500
Fax: 223 402 510
E-mail: reservas@douroazul.pt

Departamento Navio-hotel e Iate
Tels.: 220 449 759; 220 449 758
Telm: 962 039 148 (disponível após as 18h30, fins-de-semana e feriados)
Fax: 22 340 25 48
E-mail: naviohotel@douroazul.pt

o que disponibiliza

  • Heliporto no convés solar, que permite a realização de tours aéreos na região.
  • Janelas panorâmicas que proporcionam uma visão da paisagem de 180º.
  • Restaurante Al Fresco, com a mais requintada cozinha do Douro.
  • Bar.
  • Piscina aquecida, localizada no convés solar.
  • Ginásio.
  • Massagens terapêuticas.
  • Salão de beleza.
  • SPA.
  • Acesso à Internet de banda larga via Wi-Fi.
  • Todas as cabines são equipadas com TV HD, com acesso a vários canais internacionais e um sistema video-on-demand.

informações

Moeda
Euro.

Idioma
Português.

Documentos
Bilhete de identidade ou cartão do cidadão.

clima

Dependendo da região e da época do ano, Portugal oferece muito sol, sendo um destino ideal para umas férias descontraídas. Tem um clima temperado marítimo, com verões quentes e invernos húmidos, sofrendo influências continentais e também por parte do Atlântico e do Mediterrâneo.

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Flickr, Wikimedia e gentilmente cedidas pela DouroAzul
edição 12 a próxima viagem